Obras do primeiro laboratório-fábrica de ímãs de terras-raras do Brasil estão em fase de acabamento
Minas Gerais

Obras do primeiro laboratório-fábrica de ímãs de terras-raras do Brasil estão em fase de acabamento

Obras do primeiro laboratório-fábrica de ímãs de terras-raras do Brasil estão em fase de acabamento

Projeto sendo implantado em Minas Gerais pela Codemge tem término dos trabalhos previsto para o final de 2019

imagem de destaque
Visão frontal do prédio do laboratório-fábrica de ímãs de terras-raras

A instalação do primeiro laboratório-fábrica de ligas e ímãs de terras-raras do Brasil, o LabFabITR, localizado em Lagoa Santa, Região Metropolitana de Belo Horizonte, segue em ritmo acelerado. Após a fase atual do projeto, será realizada a finalização dos trabalhos de obra civil. A previsão é de que as obras sejam concluídas até o final de 2019. O empreendimento é uma iniciativa do Governo de Minas Gerais, por meio da Companhia de Desenvolvimento de Minas Gerais (Codemge).

Única não só no país, como no Hemisfério Sul, a iniciativa representa um passo decisivo para o fomento à alta tecnologia no estado. Além de suprir parte da demanda nacional pelos ímãs sinterizados de neodímio-ferro-boro (NdFeB), utilizados em equipamentos como motores e geradores elétricos de alta eficiência, o projeto apoiará empresas no desenvolvimento de novas soluções com ímãs de terras-raras e na produção de protótipos e pequenas séries.

 O terreno, de propriedade da Codemge, possui área de 9.645 m² e integrará instalações de fábrica e Pesquisa & Desenvolvimento (P&D) – Crédito: Acervo/Codemge

O diretor-presidente da Codemge, Dante de Matos, destaca que o investimento em terras-raras e em outros novos materiais, como o grafeno e o lítio, faz parte da estratégia de diversificação da companhia. “Nosso objetivo, como empresa de fomento do Estado, é ir além das vocações tradicionais mineiras, identificando produtos de vanguarda, investindo em pesquisa e em desenvolver processos competitivos sustentáveis e de alto potencial”, diz.

Próximas etapas

Em paralelo às obras civis, será feito o comissionamento dos equipamentos do laboratório-fábrica, seguindo um cronograma de testes que visa garantir sua atuação conforme especificado em projeto.

A aquisição dos equipamentos está sendo feita com o suporte da Fundação de Desenvolvimento da Pesquisa (Fundep), sendo em grande parte equipamentos importados e específicos para esta tecnologia, vindo por via marítima de países como China, Alemanha e Estados Unidos. A célula de redução está sendo desenvolvida pelo Instituto de Pesquisas Tecnológicas (IPT), gerando tecnologia própria para o projeto.

As fases seguintes são o start-up da planta, início da produção fabril, previsto para o primeiro semestre de 2020, e o ramp-up, que é o processo de se atingir a capacidade produtiva.

Os estudos começaram em 2015 e as obras, em dezembro de 2017. O investimento da Codemge em obra civil e bens de capital é de aproximadamente R$ 100 milhões. O laboratório-fábrica foi projetado para iniciar com capacidade anual de 23 toneladas, devendo alcançar a marca de 100 toneladas/ano de ímãs em até dez anos de operação.

Relevância

Embora o LabFabITR ainda não esteja finalizado, potenciais clientes, em especial do mercado nacional, já demonstraram interesse em adquirir os ímãs, influenciados pela logística e pela localização da planta. Todos os ímãs de terras-raras utilizados no Brasil são embarcados do exterior (em especial da China, que domina este mercado), o que demonstra o potencial de consumo dos produtos a serem desenvolvidos no projeto.

O gerente do empreendimento, Rodrigo Mesquita, explica que o LabFabITR, mais que um projeto, é também um negócio, que busca parceiros e investidores que tenham interesse em P&D e na produção de imãs de terras raras NdFeB com confiabilidade, durabilidade, eficiência e qualidade:

“Fazendo esse trabalho em Minas Gerais, estamos fomentando a cadeia produtiva da região e visando atender clientes dos mais diversos segmentos na área de magnetismo e acessórios. Acredito ser de suma importância estudar e implementar processos de produção de ímãs permanentes em escala industrial no Brasil, desenvolvendo pesquisa e produção nesta área, de modo a enfrentar a liderança chinesa e permitindo que Minas Gerais e, consequentemente, o país possuam suas próprias tecnologias”, afirma.

Minas Gerais

Mais notícias da Categoria Minas Gerais

Segurança Pública inicia Semana Estadual de Prevenção ao Uso de Drogas

Segurança Pública inicia Semana Estadual de Prevenção ao Uso de Drogas

Portal Paranaíba 24/06/2019
Receita Estadual intercepta carga de 6 mil pares de calçados falsificados

Receita Estadual intercepta carga de 6 mil pares de calçados falsificados

Portal Paranaíba 24/06/2019
Escola da rede estadual vence prêmio nacional de inovação

Escola da rede estadual vence prêmio nacional de inovação

Portal Paranaíba 24/06/2019
Cooperação técnica Minas-Japão abre possibilidade de parcerias para agricultura

Cooperação técnica Minas-Japão abre possibilidade de parcerias para agricultura

Portal Paranaíba 19/06/2019
DEER restringe veículos de carga no feriado de Corpus Christi

DEER restringe veículos de carga no feriado de Corpus Christi

Portal Paranaíba 19/06/2019
Romeu Zema participa da abertura da Megaleite 2019 e destaca relevância do agronegócio para economia mineira

Romeu Zema participa da abertura da Megaleite 2019 e destaca relevância do agronegócio para economia mineira

Portal Paranaíba 19/06/2019